BRAS PREFERÍVEIS AOS IECAS PELO PERFIL DE SEGURANÇA MAIS FAVORÁVEL

BRAS PREFERÍVEIS AOS IECAS PELO PERFIL DE SEGURANÇA MAIS FAVORÁVEL

BRAS PREFERÍVEIS AOS IECAS PELO PERFIL DE SEGURANÇA MAIS FAVORÁVEL

Em estudo de coorte de base-populacional, retrospectivo, incluindo participantes de oito registros (americanos, alemães e sul-coreanos), os autores compararam a efetividade e a segurança dos IECAs versus BRAs como primeira opção de tratamento anti-hipertensivo em pacientes de mundo-real, entre 1996 e 2018.

O desfecho primário foi IAM, IC, AVC e a composição dos eventos CV.

Outros 51 desfechos secundários e de segurança foram avaliados, incluindo angioedema, tosse, síncope e distúrbios eletrolíticos.

Foram identificados 2.297.881 pacientes iniciando tratamento com IECAs e 673.938 pacientes com BRAs.

Não foram observadas diferenças significativas entre o uso de IECAS versus BRAs nos desfechos primários: IAM (HR 1,1 IC 95%:0,95-1,32); IC (HR1,03 IC 95%:0,87-1,24); AVC (HR 1,07 IC 95%:0,90-1,25) ou eventos CV compostos (HR 1,06 IC 95%:0,90-1,25).

Para os desfechos secundários e de segurança, os pacientes tratados com BRAs apresentaram menor risco de angioedema, tosse, pancreatite e sangramento gastrintestinais.

Os autores concluíram que em estudo de coorte de mundo-real e larga escala, não há diferença significativa na efetividade entre BRAs e IECAs como primeira opção de tratamento anti-hipertensivo, mas que os BRAs apresentam um melhor perfil de segurança. Esses dados suportam a prescrição preferencial dos BRAs sobre os IECAs quando do início do tratamento.

Referência: Chen RJ et al. Comparative First-Line Effectiveness and Safety of ACE (Angiotensin-Converting Enzyme) Inhibitors and Angiotensin Receptor Blockers: A Multinational Cohort Study. Hypertension. 2021; DOI: 10.1161/HYPERTENSIONAHA.120.16667.

Deixe um comentário