A análise sugere que a suplementação de vitamina D pode melhorar a sobrevida no câncer de aparelho digestivo p53-positivo

A análise sugere que a suplementação de vitamina D pode melhorar a sobrevida no câncer de aparelho digestivo p53-positivo

 

8 de janeiro de 2020.

Os resultados de uma análise ad hoc do estudo AMATERASU relatado em 23 de dezembro de 2019 na revista Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention forneceram evidências para apoiar a hipótese de que a suplementação com vitamina D poderia melhorar a sobrevida livre de recaída entre indivíduos com câncer p53-positivo do trato digestivo. A proteína tumoral p53 é o gene que é mais frequentemente mutado entre todos os cânceres e é considerado “o guardião do genoma” devido ao seu efeito supressor de tumor.

O estudo randomizado AMATERASU comparou os efeitos da suplementação com 2.000 unidades internacionais (UI) de vitamina D com um placebo em 417 pacientes tratados com cirurgia para câncer do trato digestivo. Embora a análise inicial da sobrevida em cinco anos relatada no ano passado no JAMA não tenha encontrado uma diferença significativa entre os grupos, os editorialistas do JAMA observaram que “o estudo teve um desequilíbrio na alocação do tratamento por idade, e a análise ajustada por idade post hoc revelou um benefício estatisticamente significativo a favor da suplementação. ”

A análise atual procurou determinar se as diferenças de tecido de câncer de pacientes em p53, o receptor de vitamina D e o Ki-67, uma proteína associada à proliferação celular, modificaram o efeito da suplementação de vitamina D no risco de câncer digestivo. Entre 226 pacientes com mutações na p53, a sobrevida livre de recaída em cinco anos foi de 79% entre os que receberam vitamina D em comparação com 57% no grupo placebo, enquanto a sobrevida livre de recidiva não diferiu significativamente entre aqueles sem as mutações. Não foi observada modificação significativa do efeito pelo receptor da vitamina D ou Ki-67.

“Esses resultados geram uma hipótese de que a suplementação de vitamina D pode melhorar a sobrevida livre de recaída em pacientes com câncer de aparelho digestivo positivo para p53”, concluíram Taisuke Akutsu, da Jikei University School of Medicine e colegas.

Deixe um comentário