HOMOCISTEÍNA: PIOR DO QUE O COLESTEROL

HOMOCISTEÍNA: PIOR DO QUE O COLESTEROL

HOMOCISTEÍNA: PIOR DO QUE O COLESTEROL

Homocisteína é um dos indutores da deposição do colesterol na placa ateromatosa.

Dr. Paulo Meira

 

A doença coronariana obstrutiva (infarto do miocárdio) é um grande pesadelo para a humanidade.

Nos países desenvolvidos, assim como no Brasil, é a principal causa de mortalidade. Estima-se que, somente neste ano, 900.000 americanos e 180.000 brasileiros terão suas vidas ceifadas por esta doença.

Muito mais importantes do que a herança genética, os verdadeiros inimigos do coração estão ligados aos nossos estilos de vida: fumo, sedentarismo, obesidade, estresse, hipertensão, os erros alimentares e a deficiência hormonal  que, em última análise, levam à hipercolesterolemia.

O aumento do colesterol, principalmente a fração LDL (o mau colesterol), abre caminho para a arteriosclerose, que, por sua vez, obstrui as artérias do coração e causa o infarto, numa verdadeira realização em cascata.

Colesterol elevado, passou então, a ser o inimigo público número um.

Um fato muito importante intrigava, porém, os pesquisadores mais curiosos: se é realmente o grande vilão, como explicar a ocorrência de infartos em pessoas com colesterol absolutamente normal?

Como explicar o infarto em adultos cada vez mais jovens, que, igualmente, não apresentam qualquer anormalidade no seu colesterol, e adotam estilos de vida aparentemente saudáveis?

Um dos elos desta cadeia de eventos parece ter sido encontrado.

Surgindo no nosso organismo como um produto do metabolismo da metionina, a homocisteína é um aminoácido natural, de existência efêmera, que se converte em outro aminoácido chamado cistationa. Se esta rota for corretamente seguida, não há qualquer prejuízo à nossa saúde. O grande segredo, porém, é que para este processo ocorrer, são necessários co-fatores naturais que regulam essas reações:,  vitaminas B-6 e B-12 betaína e ácido fólico. Aí é que começam nossos problemas.

Devido ao esgotamento do solo, industrialização excessiva dos alimentos e baixa concentração desses elementos na dieta, um número incontável de pessoas apresenta deficiência dessas substâncias.

Diante dessas deficiências, nosso organismo passa a acumular homocisteína, e essa substância é hoje considerada um dos indutores da oxidação do colesterol.

É a homocisteína um dos fatores que induzem e modulam as lesões vasculares que levam ao infarto.

Ainda pior: a homocisteína acelera a oxidação do LDL colesterol, aumentando ainda mais o dano vascular.

Explicando mais claramente: se o colesterol é normal, porém as concentrações de homocisteína no seu sangue estão elevadas, o dano ao seu coração ocorre mais rapidamente do que se seu colesterol estiver elevado e sua homocisteína normal !

Na verdade, a homocisteína elevada no sangue, é considerada, atualmente, nos países que praticam uma medicina de ponta, um fator de risco para doenças cardíacas, muitas vezes pior e mais preciso do que o colesterol.

Pessoas com doenças coronarianas, já confirmadas por angiografia, tem o risco 10 a 15 vezes maior de infartar se sua homocisteína estiver elevada !

Para finalizar, dois fatos relevantes: 1- a suplementação vitamínica corretamente conduzida, provoca a total normalização dos níveis de homocisteína; 2- os níveis de homocisteína no sangue já podem ser medidos, sendo um exame obrigatório nos países desenvolvidos

Lembre-se: na sua próxima consulta, exija que seu médico dose seus níveis de homocisteína, que, está provado, é muito pior que o colesterol.

 

Deixe um comentário