Metabolismo


Lipo Fracionada


A lipoaspiração é uma das principais cirurgias realizadas no Brasil. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o procedimento corresponde a 16,1% das cirurgias plásticas, ficando atrás somente do aumento de mama.

O estilo de vida sedentário, com dietas baseadas em gordura e açúcar, leva ao ganho de peso e ao acúmulo de gordura localizada que, mesmo com o emagrecimento e a prática de atividades físicas, insistem em permanecer na região atingida.

Por isso, muitas pessoas acabam recorrendo ao procedimento para a melhora do contorno corporal, através da eliminação de gorduras em partes pontuais do corpo. Mas, para quem prefere não se submeter a procedimentos com uma recuperação mais demorada e que exigem muitos cuidados, existem opções de tratamentos minimamente invasivos também com resultados positivos para o paciente. Como é o caso da lipofracionada.

De acordo com o cirurgião plástico Victor Cutait, o procedimento em si é uma lipoaspiração, porém realizada com anestesia local e em uma região corporal por vez, divididas por etapas semanais. Por isso, a lipofracionada pode ser realizada em ambiente ambulatorial, não sendo necessária a internação em hospital.

“O cirurgião inicia o processo através da aplicação de anestesia local em áreas específicas. Após anestesiar localmente todo tecido gorduroso, quebra-se a gordura com ultrassom (lipoclasia), e por meio de uma cânula fina e de um aparelho chamado vibrolipoaspirador, inicia-se a lipoaspiração propriamente dita”, explica o cirurgião.

A lipofracionada tem diversas vantagens se comparada a lipo tradicional. O primeiro benefício da lipofracionada é que, como o paciente está acordado durante a cirurgia, é possível movimentá-lo e ter uma melhor visualização da gordura, obtendo melhores resultados.

Outro grande benefício é que na lipofracionada não há limites para aspirar. Em cada etapa retira-se até 5% do peso, respeitando a normativa do Conselho Federal de Medicina. Como são realizadas várias etapas, retira-se toda gordura localizada independentemente se o paciente está acima do peso.

Outra vantagem é o tempo de recuperação. Por ser um procedimento menor e sem grandes intervenções, não há necessidade de interromper as atividades cotidianas – o paciente pode voltar à sua rotina de trabalho no dia seguinte, porém evitando atividades bruscas. É preciso, no entanto, seguir cuidados no pós-operatório, como o uso de cinta, drenagem linfática e evitar a exposição solar.

Além disso, há o benefício de ser um procedimento seguro. “Como é uma intervenção menor do que a lipoaspiração tradicional, dividido em etapas e com anestesia local apenas na pele e na gordura, os riscos de embolia e perfuração são nulos”, finaliza Dr. Victor.

Entenda as diferenças entre a lipoaspiração tradicional e a lipofracionada

Foto: Divulgação     

Lipoaspiração tradicional

● Internação em ambiente hospitalar;

● Retira-se apenas 5% do peso;

● Pode ser aplicada a anestesia geral, em que o paciente fica desacordado. durante o procedimento; ou anestesia. peridural, onde apenas os nervos envolvidos são anestesiados. Aumentando a complexidade da cirurgia;

● Recuperação em torno de 30 dias;

● Resultados definitivos após 6 meses.

Lipo fracionada

● Qualquer pessoa que apresente gordura localizada, pode realizar, desde que tenha obesidade, ou seja, cintura medida na altura do abdômen menor que 88 cm

● Como é feita por partes retira-se toda a gordura que esteja localizada naquele local. Mas o volume retirado é somente aquele que está presente

● Não é necessária a internação em ambiente hospitalar, o que reduz o custo total do procedimento; dura em média 60 minutos e o paciente retona para casa.

● Aplicação de anestesia local em áreas específicas;

● Não há necessidade de afastamento do trabalho por mais de dois dias.

● Sem risco de complicações. Mas é necessário a realização de drenagens linfáticas com profissional de fisioterapia, uso de cintas e talas por 30 dias

O tempo de recuperação é de 90 a 120 dias para o resultado final, portanto exige paciência durante a fase de recuparação.

Porque não se faz controle pós-operatório?  Porque não se trata de uma cirurgia que necessite deste tipo de controle. Os resultados aparecem dentro de 90 a 120 dias e se o cliente ficou satisfeito parabéns. Mas se desejar Retirar mais gordura ou fazer em outras áreas do corpo será indicada novas sessões.

Estrutura da Clínica Dr. Paulo Meira

1 – Desfibrilador

Esse pode ser considerado como um dos itens mais importantes. Ele é obrigatório para as clínicas de todas especialidades que se enquadrem na classificação do Conselho Federal de Medicina do Grupo 3, que realizam anestesia local sem sedação. Portanto, não importa a especialidade da sua clínica. Ter um desfibrilador é essencial para garantir a segurança e a saúde dos pacientes. O Desfibrilador é um equipamento que trata as arritmias através da desfibrilação (choque) elétrica, sendo capaz de reverter paradas cardíacas

Atenção para as doenças cardíacas

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardíacas e vasculares são as principais causas de morte no mundo. E as arritmias cardíacas e infartos agudos do miocárdio estão entre as ocorrências mais comuns. Por isso, além da exigência do equipamento em locais onde se realizam procedimentos invasivos e de sedação, a legislação brasileira exige que locais com circulação superior a mil pessoas* por dia também tenham um Desfibrilador Externo Automático (DEA) ao alcance dos visitantes.

Elém destes: Laringoscópio. Ambú. Glicosómetro. Fundoscopia. Laringoscopia.

 

2 – Unidade de ECG e acessórios

O eletrocardiograma (ECG) é um exame simples e importante para identificar problemas cardíacos e deficiências. De doenças congênitas ao aumento das cavidades cardíacas, o ECG pode ajudar em um diagnóstico mais preciso. Sala de recuperação com Monitor Multiparâmetros.

3 – Autoclave e controle de qualidade

O autoclave é um equipamento que esteriliza aparelhos médicos não descartáveis através do vapor de água em pressão sob altas temperaturas. Ele é muito importante para assepsia e segurança dos pacientes, médicos e operadores de sua clínica.  Pela lei esse item é obrigatório em inúmeros tipos de clínicas.

4 – Equipamentos de diagnóstico básico

Aparelhos como monitores de pressão arterial, termômetros, oxímetros de pulso, escalas de peso corporal e estetoscópios são críticos para a realização de rotinas de diagnóstico básicas. Por isso, é aconselhável sempre manter os equipamentos no melhor estado possível. Além disso, deve-se disponibilizar em quantidade suficiente e acessível para o trabalho mais eficaz de sua equipe de médicos.

 

5 – Equipamentos de emergência e suprimentos

Uma clínica precisa estar pronta para situações de emergência. Assim, a aquisição de equipamentos de respiradores, aspiradores, cilindros de oxigênio, máscaras, bolsa de reanimação, entre outros, é fundamental dependendo do tipo de procedimentos que serão realizados em sua clínica.

6 – Equipamento de proteção (luvas, aventais, óculos, máscaras faciais)

Os EPI (equipamentos de proteção individual) precisam ter a qualidade mínima para garantir a biossegurança dos profissionais. E devem incluir alguns materiais fundamentais, como luvas descartáveis, aventais, máscaras descartáveis e, em alguns casos, óculos de proteção. Todos esses materiais devem ser utilizados e descartados da maneira correta e recomendada pelos órgãos competentes.

8 – Cadeiras de rodas

Pacientes idosos ou com mobilidade reduzida precisam ter cadeiras de rodas à disposição. Esses equipamentos devem ter conforto e resistência para não causarem desconforto. Principalmente para pessoas que estão enfraquecidas ou que podem precisar esperar por longos períodos.

 

Dr. Paulo Meira

(CRM (MG) 19577 • RQE 13157 )

• Mestre em Medicina
• Bacharel em Medicina
• Especialização em Endocrinologia e Metabologia

Clínica Paulo Meira (CRM (MG) 19577 • RQE 13157 )

navigate_before
navigate_next