Tireoidite

Tireoidite

Tireoidites

As tireoidites são um conjunto de doenças inflamatórias que afetam a glândula tireoide. Em alguns casos, o paciente sente dores, mas em outros os sintomas básicos são aqueles encontrados no hipertireoidismo ou do hipotireoidismo. As tireoidites são classificadas em:

Tireoidite subaguda (ou tireoidite de Quervain): Não tem causa conhecida. Mas, acredita-se que tenha origem viral, uma vez que muitos pacientes apresentam quadro gripal antecedendo em 2-3 semanas a manifestação clínica típica que é o aumento doloroso da glândula acompanhado da liberação de grandes quantidades de hormônio da tireoide no sangue e, e consequente sintomas de hipertireoidismo.

Tireoidite pós-parto: Cerca de 5 a 10% das mulheres manifestam hipertireoidismo leve a moderado alguns meses após o parto. Nesses casos, o distúrbio costuma durar de um a dois meses e, frequentemente, é seguido por tempo variável de hipotireoidismo antes do organismo se normalizar espontaneamente. Entretanto, em alguns casos, a tireoide não se recupera, e o hipotireoidismo se torna permanente, sendo necessária a reposição hormonal ao longo da vida.

Tireoidite silenciosa: O hipertireoidismo transitório pode ser causado por uma tireoidite silenciosa, uma condição que parece semelhante à tireoidite pós-parto, mas não está relacionada à gestação e não é acompanhada de dor na glândula.

Tiroidite crônica (ou Tireoidite de Hashimoto): É uma doença autoimune com a presença de autoanticorpos que podem comprometer o funcionamento da tireoide. As manifestações da Tireoidite de Hashimoto são extremamente variáveis, podendo ser do tipo hipo, hiper ou eutireoidismo. O principal sintoma é a presença de bócio indolor, que pode não aparecer no estágio avançado da doença.

Tiroidite fibrótica (ou Tireoidite de Riedel): Distúrbio fibro-inflamatório raro que pode causar hipotireoidismo. As lesões causadas pela tiroidite fibrótica podem piorar de forma lenta e progressiva se não forem tratadas. Em alguns casos, o tecido da tireoide pode ser totalmente destruído. Pacientes com este mal costumam sentir falta de ar, sensação de sufocamento e disfagia (ou dificuldade para engolir alimentos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *